Buscar
  • Rodrigo Lancia

Porque é tão difícil mudar?

Atualizado: 18 de jan. de 2019



Certa vez, em uma conversa com um amigo, ele me disse que não estava se sentindo feliz. Que não sabia mais se gostaria de trabalhar com o que vem trabalhando há anos, que isto estava impactando em seu namoro, que não estava se sentindo bem na sua própria casa. E soltou a frase: Alguma coisa precisa mudar…


Como sou seu amigo, pedi para que ele refletisse e que me dissesse exatamente o que ele acreditava que deveria mudar. Qual tipo de mudança que ele está esperando para sua vida e a resposta foi tão vaga quanto a primeira constatação: não sei…


Por qual motivo estamos sempre buscando as mudanças? Por qual motivo estamos tentando mudar algo que não nos faz bem? Veja bem… aquele emprego te fez super bem quando você foi contratado, porque de repente ele te faria mal?


Lemos o tempo inteiro nas redes sociais que precisamos desapegar, que precisamos crescer, que precisamos sentir gratidão…então, alguém me explica… Por que eu não consigo sentir gratidão? Porque eu não consigo me desapegar? Porque eu não consigo mudar?


Todos os dias, quando abrimos as redes sociais, nos deparamos com muitas opiniões diferentes, todos mostrando na timeline do Facebook o que cabe para uma delas e o que elas acreditam. Se for seguir tudo o que é postado, todas as pesquisas, tudo, perdemos a nossa identidade.


Primeiro passo para quem quer realizar uma mudança é se conhecer. Assumir seus defeitos e localizar suas qualidades. Você foi criado desta forma e hoje você tem tudo o que precisa para seguir seu caminho.


Geralmente não conseguimos mudar porque achamos difícil. É dificil ter disciplina, é difícil não comer o doce que tanto ama, mas quem disse que precisa parar de comê-lo?


Nossa geração é a geração da ansiedade, a geração da pressa, onde o único objetivo é o resultado… somos muito ingênuos… mal sabemos que toda a mudança não está no resultado final, e sim na caminhada.


Não conseguimos mudar porque achamos que a mudança é dolorida, que vamos deixar de ser quem somos. A partir do momento que encaramos a mudança como uma melhora na personalidade, conseguimos perceber que ela é boa e favorável, traremos ela para o nosso lado e perceberemos que quanto mais mudamos, mais tunados ficamos. Seremos uma versão melhor de nós mesmos. Quando você aceitar isto, sua mudança vai deixar de doer e você se sentirá mais motivado.


Se estou sentindo que meu trabalho não está bom, que minha vida não está boa, devo parar para pensar… será que nada esta bom ou será que eu não estou bem? Partindo deste princípio, eu reconheço que a mudança deve partir de mim e que quando eu me sentir feliz e pleno, minha vida também o será.


Nunca mudamos de uma hora para outra e por isso achamos que não somos capazes de mudar.


A mudança vitalícia é gradativa, é suave. Ela parte de dentro para fora. Ela vem da tomada de decisão diária. Todos os dias eu tenho que decidir que vou mudar, pois se aquilo está realmente me incomodando, com certeza vou querer mudar.


Esta tomada de decisão nos dá força e quando menos esperamos, já estamos diferentes e nossa vida está diferente.


Sentir gratidão, emagrecer, perdoar, desapegar, esquecer o(a) ex…ser mais leve, amar o próximo…todos os direcionamentos que recebemos diariamente só serão possíveis através da tentativa e erro, pois não existe fórmula mágica da felicidade.


Nascemos neste mundo para aprender e por leis superiores temos o direito de errar.


Devemos nos livrar da culpa de não conseguir mudar, devolver esta culpa para o Universo e abrir o peito para as novas sensações do mundo.


Um corpo e espírito pesados pela culpa, rancor e ódio são mais difíceis de mudar. Quando assumimos que este sentimento não nos pertence, somos capazes de abrir muito espaço para a novidade e preencheremos o coração, corpo e espírito de coisas boas.


Mudar não é o privilégio de algumas pessoas, é o direito de cada um. Todos temos o direito de ser feliz. Se algo está te incomodando, mude, transforme.


Para a lagarta virar uma borboleta, ela precisa mudar, esperar o tempo certo e quebrar o casulo. A resposta está sempre na natureza.

Alegrem-se que virão coisas alegres — Meishu-Sama
6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Solidão